UCPel recebe aval do MEC para ofertar cursos de Educação a Distância

A Universidade Católica de Pelotas (UCPel) tem dois motivos para comemorar: o Ministério da Educação (MEC) credenciou o curso de Tecnologia em Segurança Pública (TSP) da instituição, que também recebeu aval do órgão para se tornar uma sede à oferta de Educação a Distância (Ead). Ambos os projetos foram aprovados com o conceito 4, na escala de 1 a cinco. A expectativa é que a turma de estreia do TSP inicie as atividades já no começo do segundo semestre letivo.

Conforme o coordenador de Graduação e Extensão da Católica, Luiz Fernando Meirelles, embora a UCPel possua autonomia universitária, por o TSP se tratar do primeiro curso na modalidade Educação a Distancia, a autorização para ofertar tal modelo de ensino foi obrigatória. Esse processo de credenciamento, também in loco, foi realizado em outubro de 2015. Faltava apenas a etapa relacionada ao curso, concluída na semana passada.
Nos dias 27 e 28 de junho, dois avaliadores do MEC estiveram na UCPel realizando o processo para autorização do tecnólogo. Na ocasião, examinaram indicadores, especialmente os relacionados ao projeto pedagógico do curso, como estrutura curricular e bibliografia, incluindo a aquisição e disponibilização dos livros na biblioteca. A titulação e o tempo dos professores que atuarão no curso, a produção do material a ser utilizado, toda a infraestrutura tecnológica que será disponibilizada para mediar o processo ensino-aprendizagem, bem como questões de acessibilidade, especialmente digital, também foram analisados.
“A UCPel continua sua trajetória na busca da qualidade e da referência em educação, sempre alicerçada na inovação e na gestão sustentável e participativa. Seu ingresso no mundo EaD, já com nota 4, reforça seu compromisso com a promoção social e cultural e o desenvolvimento de Pelotas e região sul. Ficamos no aguardo dos trâmites finais do MEC até a publicação no Diário Oficial da União de nossas credenciais para realizarmos nosso primeiro vestibular para EaD”, aponta o reitor da UCPel, José Carlos Bachettini Júnior.
Abrangência regional e pós-graduação à vista
O curso Tecnologia em Segurança Pública foi concebido após estudos de mercado e da análise de temáticas consideradas como dificuldades à população, incluindo a segurança. Como a região conta com 7 mil profissionais, muitos sem formação específica, já atuando na área, e um contingente grande querendo ingressar no segmento, a UCPel apostou na oferta. “Não poderíamos criar um curso que não tivesse realmente demanda. E a Universidade sempre teve como preocupação formar pessoas para resolver os problemas da sociedade. Isso nos motivou”, revela o coordenador.
O projeto de graduação EaD da UCPel tem abrangência exclusivamente regional, para atingir os 23 municípios da Zona Sul, sendo que a Universidade é a sede da oferta. Isso significa que todo o curso, seja tecnólogo, bacharelado ou licenciatura, quando exigir presencialidade em maior ou menor grau, terá atividades na própria Católica ou em organizações conveniadas que atendam o perfil de formação necessário.
“O TSP tem atividades mensais, parte na sede e parte nas organizações e empresas da área de segurança pública e privada conveniadas. Ou seja, o TSP é semipresencial, mas na caracterização macro é considerado a distancia”, exemplificou Meirelles, ao destacar que a variação ocorre de acordo com cada projeto. Em síntese, qualquer etapa do processo ensino-aprendizagem que não seja mediada por tecnologia ou on-line, como a obrigatoriedade de aplicação de um prova por semestre, será desenvolvida na instituição.
Segundo Meirelles, entre os grandes diferenciais do EaD da UCPel está a participação do corpo docente. Os professores da Católica também serão tutores, o que difere do modelo clássico do EaD, tanto a distancia quanto presencial. “Isso poderá garantir maior qualidade pedagógica ao curso”, frisa.
Para a UCPel, ser uma instituição credenciada a Ead representa um reforço ao trabalho que sempre fez de atender alunos de todos os municípios da região. Além disso, o aval do MEC abre caminho também à oferta de especialização nessa modalidade. “Tão logo tenhamos concluído o processo de credenciamento, estaremos intensificando a prospecção de cursos e a oferta na modalidade. E aí, resguardada a natureza do curso, podemos atuar no Brasil inteiro. Vamos estar preocupados em fazer cursos para as demandas da região, mas a demanda não precisa estar necessariamente toda aqui”, adiantou Meirelles.

foto da notícia

Deixe uma resposta